terça-feira, 30 de junho de 2009

Fisioterapia ou Ortóptica??

A Ortóptica é um ramo auxiliar da oftalmologia que trata de distúrbios e defeitos da visão sensorial e motora. O ortoptista é o profissional habilitado em Ortóptica, e procura corrigir as anomalias da visão sem recorrer à cirurgia, utilizando-se de métodos de fisioterapia ocular, de exercícios, de equipamentos e ferramentas de estimulação sensorial, como lentes prismáticas e filtros.


Para ser um ortoptista é necessária graduação em curso de nível superior de Ortóptica. Algumas das matérias que fazem parte da grade curricular da maioria dos cursos são: anatomia; patologia geral; psicologia; bioquímica; biofísica; bioética; ortóptica; optometria; óptica fisiológica e psicofísica da visão, entre outros. Deve-se distinguir a ortóptica da oftalmologia, pois são dois campos distintos e ao mesmo tempo interligados, pois ambos buscam promover a saúde ocular, porém tratam de distúrbios diferentes. Esses profissionais podem, inclusive, trabalhar em conjunto em alguns casos.


A Ortóptica também é bastante confundida com a Fisioterapia Ocular, Fisioterapia Ortóptica, ou até chamada por alguns de Fisioterapia Oftalmológica, que é uma área da fisioterapia que trabalha a relação entre a visão e o equilíbrio postural. É uma área pouco difundida no meio terapêutico devido à complexidade dos exercícios oculares.


A metodologia da fisioterapia ocular esta baseada no equilíbrio da musculatura intrínseca do olho e toda sua relação com as cadeias musculares e tem como objetivos: Identificar as possíveis causas dos transtornos posturais através do desequilíbrio ocular, entender as relações entre os distúrbios visuais e os distúrbios cinéticos funcionais, assim como desenvolver habilidades no âmbito de prescrição de exercícios oculares para melhora do equilíbrio postural.


O Fisioterapeuta Ocular, é aquele que além de graduado em Fisioterapia, possui o curso de formação profissional em Fisioterapia Ocular, disponibilizados por alguns centros de formação em Fisioterapia. Esta área ainda não se tornou efetivamente uma especialização da Fisioterapia, pelo fato de não ter o reconhecimento legal.


O mercado de trabalho para a ortoptica é amplo, justamente pela falta de profissionais qualificados para atender a demanda. Muitas vezes o trabalho do ortoptista é realizado por um oftalmologista por falta de profissionais da área. Isso por que a profissão ainda não é muito difundida no Brasil e é facilmente confundida com a oftalmologia ou com a Fisioterapia.


A Ortóptica existe em diversos países do mundo, tais como Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha, Japão, Argentina, Uruguai, França. No Brasil existe há 60 anos. Segundo o Conselho Brasileiro de Ortóptica, há cerca de 300 profissionais no país. Atualmente, existe apenas um curso superior que oferece a formação em ortoptista, na universidade do Instituto Brasileiro de Medicina de Reabilitação, no Rio de Janeiro, com duração de três anos.


A Ortóptica faz um trabalho de reabilitação, mas é uma profissão que não dependente da Fisioterapia. O profissional ortoptista é graduado em nível superior, e somente ele está apto a prevenir, diagnosticar e tratar os distúrbios da visão binocular. E por se enquadrar também na área da reabilitação, as pessoas confundem e julgam ser da competência do fisioterapeuta, este trabalho que está creditado ao ortoptista, esta é a grande luta do Conselho Brasileiro de Ortóptica.

Porém alguns Fisioterapeutas defendem que por se tratar de exercícios de cadeias musculares, utilizando recursos cinéticos funcionais e biomecânicos, também possam exercer diagnóstico, prevenção e tratamento nos musculos intrínsecos do olho. Mas o fato é que nem a Fisioterapia Ortóptica, nem a Ortóptica ainda foram reconhecidas como especialização e profissão respectivamente. Esta é uma realidade que ainda apresenta-se como uma luta do Conselho Brasileiro de Ortóptica.

Matrículas para semestre 2009.2 (RETIFICADAS)

A coordenação do curso de Fisioterapia, avisa sobre a mudança ocorrida nas datas divulgadas no ultimo dia 15, para a efetuação da matricula para o semestre 2009.2(semestrais) e 2009.2/2010.1(anuais). As modificações foram nas datas de matricula para os alunos do 2º período e do 2º ano: 3º e 4º periodos, os demais são matidas as datas antigas. segue abaixo as respectivas datas:

2º, 3º e 4º Semestres
20 de Julho de 2009

3º e 4º Anos
21 de Julho de 2009

5º Ano, Readmitidos e Transferidos
22 de Julho de 2009

Retardatários
23 de Julho de 2009
(DATA LIMITE)



sábado, 27 de junho de 2009

Enfim, um pouco de dignidade!

Foi reconhecido pelo COFFITO, o RNHF (Referencial Nacional de Honorários Fisioterapêuticos) como referencial mínimo remunerário-deontológico para o exercício profissional do fisioterapeuta por intermédio do Sistema de Saúde. Agora, todos os serviços fisioterapêuticos, sejam pelo SUS ou serviços privados deveram se submeter às cotas mínimas estabelecidas pelo RNHF. Apesar dos valores ainda estarem bastante desatualizados e ainda considerados ínfimos pelos próprios fisioteraputas, esta foi uma vitória que realmente vale a pena comemorar, principalmente se analisarmos as ultimas que tivemos e vale salientar que foram poucas.
As resoluções do COFFITO nº 367 e Nº 368, podem ser vistas na integra nos links abaixo. E para aqueles que ainda estejam na dúvido quanto às remunerações, disponibilizamos também o link para o RNFH.

Resolução 367: http://www.turboupload.com/sj0mzhzbn6zb/Resolução_nº_367.doc.html

Resolução 368: http://www.badongo.com/file/15725619

RNFH: http://www.turboupload.com/9gxn7f700xe7/RNHF.doc.html

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Drenagem Linfática, Agora direito de todos!

O Tribunal Regional Federal (TRF) de São Paulo determinou que a seguradora de saúde Amil oferte tratamento de drenagem linfática realizado por fisioterapeutas para seus clientes em todo o país. A autorização é obrigatória sempre que houver indicação terapêutica.Trata-se de uma Ação Civil Pública proposta pelo Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo, em face da Amil, que se recusou a dar cobertura ao tratamento de drenagem linfática a uma cliente que apresentava linfedema, apresentando, portanto, indicação médica. Na ocasião, a seguradora alegou que o procedimento era realizado por esteticistas e, portanto, estava fora da cobertura dos planos de saúde.Com base em um parecer do Crefito-SP, o MPF sustentou que “a drenagem lifática é um dos recursos terapêuticos manuais utilizados pelo fisioterapeuta para o tratamento do linfedema”, devendo, assim, ser coberta pelo Plano de Saúde. Ressalte-se ainda a atuação da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que em 2007, editou a Resolução Normativa n° 167, estabelecendo que os planos de saúde devam ofertar, entre outros procedimentos, a "reeducação e reabilitação do sistema linfático e/ou vascular periférico", neste compreendida a drenagem linfática. Essa resolução também prevê um número ilimitado de sessões de Fisioterapia aos segurados.

Fonte: www.crefito3.com.br


Mais uma vez observamos a mais um capítulo desta grande trama entre os Creffitos e os planos de saúde, desta vez através de uma ação civil pública, regida pelo proprio ministério público, contra a Amil, aseguradora do estado de São Paulo. Este ato nós deixa bastante claro, o papel decisivo do Crefito 3, São Paulo, que junto ao MP asseguraram mais uma conquista e a importância que muitas vezes não é dada aos nossos conselhos regionais, que diga-se de passagem tem feito muito e ainda fara mais, pois, se está ruim com os conselhos, imagine sem eles.

sábado, 20 de junho de 2009

Programa Bolsa Manutenção

Com o objetivo de criar um programa que pudesse atender os estudantes da Universidade Estadual da Paraíba comprovadamente carentes, o Conselho Universitário da UEPB (CONSUNI), instituiu, no dia 18 de maio, o Programa Bolsa Manutenção, vinculado à Pró-Reitoria de Graduação. A Resolução 18/2009, que trata do assunto, foi publicada no Diário Oficial do Estado, no dia 29 de maio.

Ao todo, serão 69 bolsas no valor mensal de R$ 400, inicialmente distribuídas da seguinte forma: 19 para Campina Grande, três para o Campus de Lagoa Seca, 17 para Guarabira, dez para João Pessoa, dez para Monteiro e dez para Patos.

Poderão ser atendidos com a bolsa os estudantes carentes que comprovem pertencer à família cuja renda mensal não ultrapasse três salários mínimos; que estejam regularmente matriculados nos cursos de graduação da UEPB (preferencialmente um único curso) e que sejam oriundos de municípios distintos daqueles onde se situam os campi.

De acordo com a PROEG, somente em Campina Grande os alunos deverão optar entre os benefícios da Bolsa Manutenção ou Residência Universitária. Nos demais campi, será disponibilizada apenas a Bolsa Manutenção.

Inscrições
Anualmente, a PROEG realizará duas seleções, nos meses de fevereiro e julho, mediante existência de vagas. As inscrições para a primeira seleção, já em 2009, serão feitas entre os dias 29 de junho a 17 de julho, nos seguintes endereços:

• Campus I: Campina Grande - prédio da PROEG, Assessoria Estudantil, localizado na Avenida das Baraúnas, 351, Campus Universitário, Bairro de Bodocongó, das 8h às 11h30 e das 14h às 16h30;
• Campus II: Lagoa Seca;
• Campus III: Guarabira;
• Campus V: João Pessoa;
• Campus VI: Monteiro
• Campus VII: Patos, na secretaria da Direção de Centro.

Para efetuar a inscrição, o aluno deverá preencher um formulário, disponibilizado nos centros ou no no edital constando no site, e entregá-lo pessoalmente nas direções de Centro. O formulário I é específico para os estudantes do Campus I, enquanto o formulário II deve ser utilizado pelos alunos dos demais campi. Além disso, deverá apresentar cópias autenticadas da documentação exigida, que pode ser conferida no edital disponível em : www.uepb.edu.br .

Fonte: www.uepb.edu.br


Apesar do programa não atender todos os alunos carentes de nossa instituição, observamos uma nítida preocupação de nossa universidade com os alunos que se apresentam com baixo poder aquisitivo, muitas vezes passando por privações financeiras em casa em prol de sua formação profissional. Assim como o Restaurante Universitário e a Residência Universitária, esta bolsa vem se somar como mais uma ação concreta em favor dos alunos da estadual, colocando a instituição, dentre as demais instituições públicas de nosso pais, como a que mais ajuda o estudante, através de programas assistencialistas.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Matrículas para semestre 2009.2

Serão realizadas nas datas abaixo descritas, as respectivas matriculas por ano letivo. Todos os alunos que queiram está regularmente matriculados no período 2009.2(semestrais) e 2009.2/2010.1 (anuais) devem se dirigir ao Departamento de Fisioterapia das 8:00 às 12:00 horas para efetuar a mesma.


2º Ano, 3º Ano e 4º Ano
21 de Julho de 2009

5º Ano, Readmitidos e Transferidos
22 de Julho de 2009


Retardatários
23 de Julho de 2009

(Data limite para matricula)


OBs: O requisito para opção de turno do 5º ano obedece:
  • Trabalho;
  • Filhos;
  • Pendências Curriculares

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Fisiociência - Mês de Junho

Será realizado no auditório do Departamento de Fisioterapia da UEPB, mais uma edição do FisioCiência, um projeto que visa o incentivo à atividade científica ao mesmo tempo que permite que projetos já feitos ou em fase de conclusão sejam apresentados, aluno ensinando aluno como fazer ciência. Toda a comunidade acadêmica está convidada, será dia 19 de Junho, às 8:00 Hrs, e terá como tema: Fisioterapia Energética e Terapias Orientais. esperamos a presença de todos, pois este evento é de interesse de nossa comunidade acadêmica, pois em nosso curso temos por dever apresentar pelo menos um projeto de pesquisa, o Trabalho Acadêmico Orientado (TAO) na complementação da carga horário, e o Fisiociência vem bater nesta tecla, principalmente para aqueles que tem dificuldade no tema, esta é uma otima oportunidade para que você possa se familiarizar com a atividade científica. Sintam-se todos convidados!

São João da Clinica Escola

Mas uma vez, tivemos a enorme satisfação de nos fazemos presente a mais um evento organizado por nosso departamento, deste vez de mais uma edição do São João da Clinica Escola de Fisioterapia da UEPB. Estagiarios, alunos, professores e muitos pacientes fizeram parte da festa, que foi marcada por muita elegria, comidas típicas e muita dança. O evento foi organizado pela Coordenadora da Clinica Escola Professora Maria de Lourdes de Oliveira, segundo a coordenadora, assim como o São João outra festividade que marca a clinica escola é a comemoração natalina, que este ano também estará presente no calendário de eventos da clinica.

A festividade é sem duvida de extrema importância para todos, onde todo o corpo docente, alunos e funcionários disfrutam de um momento de confraternização. Mas o público alvo é realmente os pacientes, que vêem na comemoração um espaço de diversão e descontração. Estes por vez carentes, ou vindos de outros municipios, que encontram na Clinica Escola uma esperança para o fim de suas enfermidades, e em momentos como este, deixam suas dificuldades de lado, e tentam se divertir, cada um do seu modo, apesar de suas limitações.

Confira um pouco da festa!


video


































quarta-feira, 17 de junho de 2009

De Olho no Congresso Nacional

O senador Alvaro Dias (PSDB-PR) alertou, nesta segunda-feira (20), para os problemas enfrentados atualmente pelos profissionais e clínicas de fisioterapia. Eles reclamam a atualização dos valores pagos pelos planos de saúde com os quais mantêm convênios. O parlamentar disse ter recebido um abaixo-assinado dos fisioterapeutas do Paraná expondo fatos que afligem a categoria, atualmente com 140 mil profissionais em todo o Brasil, como ausência de reajustes nas tabelas por 15 anos.

Alvaro Dias explicou que esses profissionais dependem em grande parte da renda obtida com os atendimentos feitos a pacientes que têm planos de saúde com os quais as clínicas mantêm convênios, já que apenas 10% dos atendimentos são feitos sem essa intermediação.

Para salientar a defasagem que pode ocorrer em 15 anos sem reajustes nos repasses, por parte dos planos de saúde, o senador lembrou que há 15 anos o salário mínimo estava ao redor de R$ 70, devendo chegar a R$ 560,44 em 1º de janeiro do ano que vem

Alvaro Dias disse ainda que a situação das clínicas se agravou com a obrigação de contratarem os profissionais autônomos como celetistas. De acordo com relato que recebeu, o Ministério do Trabalho no Paraná está fiscalizando as clínicas de fisioterapia com o intuito de regularizar a situação dos fisioterapeutas autônomos, exigindo sua contratação pela CLT. Embora esta seja "uma conquista importante e legítima", disse o senador, a medida vai gerar aumento dos encargos trabalhistas para as clínicas.

- Já começaram as demissões. Esta é a razão de estarmos na tribuna, fazendo esta abordagem e anunciando que vamos iniciar uma ação política, visando a contribuir para a solução desse impasse - adiantou Alvaro Dias, que vê a correção dos repasses por parte dos planos de saúde como a única saída.

Ouça na íntegra esse Pronunciamento http://www.senado.gov.br/radio/download.asp?nomArquivo=0420ad.mp3

Fonte: http://www.senado.gov.br/agencia


Esta Noticia a muito nos impressionou, principalmente pelo fato de não termos dado conta de que apesar de ser uma noticia deprimente, trata-se de um aspecto positivo por outro lado, pois em mais ou menos 185 anos, desde a criação do Senado Federal (1824), não tivemos nenhum senador que subisse na tribuna para expor preocupação com a Fisioterapia. Com certeza para nós isso significa uma conquista, pelo fato de termos ganhando um espaço e uma representação, que diga-se de passagem desejado por nós a longas datas, quem não lembra do tão falado "Ato Médico", em que varios conselhos tentaram mostrar em plenário sua importância, e consequentemente reconhemento. Mas no outro extremo, temos um alerta a crítica situação em que passam as clinicas fisioterapeuticas do estado do Paraná, realidade não tão diferente no resto do Brasil, onde o repasse dado pelos planos de saúde, não obedecem reajustes à 15 anos, comprometendo uma das fontes salariais de nossos profissionais.

Desde já deixo a nossa mais respeitável saudação ao senador Alvaro Dias, pelo belo pronunciamento, mesmo sabendo que seu oficio é defender e representar todo o povo Brasileiro, inclusive os Fisioterapeutas, mas em 185 anos de Senado, foi o primeiro senador a demonstrar preocupação para com nossa profissão, defendendo de forma consistente uma classe da qual não faz parte, enquanto tantos fisioterapeutas se acomodam e tentam se acostumar com situações cada dia mais intoleráveis.

terça-feira, 16 de junho de 2009

Caminhos à serem percorridos...

Desde alguns anos que há uma grande preocupação de todas as equipes multidisciplinares no tratamento e acompanhamento do doente oncológico. Graças à investigação cientifica e investimento feito nesta área, e campanhas de sensibilização para o diagnostico precoce, que toda a abordagem no tratamento do doente oncológico é bem diferente daquela que se fazia há uns anos atrás.

As abordagens cirúrgicas são essencialmente conservadoras e as terapias adjuvantes cada vez mais direcionadas ao tipo de tumor, sendo que a sobrevida e qualidade de vida dos doentes é mais longa e eficaz.

Mesmo assim, por vezes o doente percorre um caminho longo e doloroso. A cura é em muitos casos total mas em outros a sobrevida torna-se pequena e difícil. A Fisioterapia oncológica tem cada vez mais um papel fundamental e oportuno.

A atuação do fisioterapeuta começa logo quando o doente é encaminhado pelo médico na fase pré-operatória, podendo e devendo prevenir uma série de complicações pela sua atuação: Melhorando as capacidades ventilatorias, Ensino da tosse, Cuidados a ter e conselhos de higiene, Alivio da dor, corrigindo posturas e aconselhando posturas.

Tendo o fisioterapeuta conhecimentos profundos das patologias oncológicas e sabendo as limitações hematológicas que advêm dos tratamentos de quimioterapia, avalia e estabelece um plano de tratamento e seguimento do doente ao longo do seu percurso de tratamento, incidindo a sua atuação nos seguintes problemas: Alterações funcionais e articulares, com exercícios ativos e dinâmicos, para ganhar o mais breve possível todas as amplitudes articulares, nas alterações musculares e tendinosas, com massagem e técnicas de relaxamento, nas retrações cicatriciais, com abordagens especificas para cicatrizes, fibroses e retrações, nas alterações respiratórias e posturais, com cinesioterápia respiratória, no alivio da Dor, nas alterações vasculares e neurológicas, na prevenção e tratamento do Edema linfático, com drenagem linfática manual e uso de posturas facilitadores do retorno linfático, bandas multi-camadas e contenção elástica, no treino de equilíbrio e Marcha e nas orientações aos familiares quanto aos cuidados com o paciente.

A principal meta da fisioterapia oncológica é mostrar ao doente a necessidade de retomar as suas atividades diárias, dando-lhe confiança e certezas quanto ao futuro. Esta é uma pequena amostra do que o fisioterapeuta pode fazer para minimizar e ajudar o doente oncológico. Restá-nos como profissionais possuidores do saber nos dedicar ao máximo, pra que possamos no futuro conquistar com nosso conhecimento, uma saida para estes pacientes muitas vezes condenados à morte.

terça-feira, 9 de junho de 2009

XIV Congresso Paraibano de Cardiologia


Será realizado em Campina Grande - PB, nos dias 6, 7 e 8 de Agosto de 2009, o XIV Congresso Paraibano de Cardiologia, será no Centro de Convenções Raimundo Asfora, Garden Hotel, e serão abordados os seguintes temas: Doença Aterosclerótica Coronariana, Síndrome Coronariana crônica e aguda, Mesa redondo sobre Insuficiência Cardíaca, Arritmias, entre outros. O Inicio do evento está previsto para quinta-feira, dia 6 de Agosto às 8:30 Hrs e o encerramento para sexta-feira, dia 8 às 13:00 hrs. O Congresso contará com a presença do Professor do curso de Fisioterapia da Universidade Estadual da Paraiba, Milton Antônio Gonçalves de Oliveira, assim como a presença do Presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia na Paraiba, João Alfredo Falcão da Cunha Lima. A Inscrição é de um valor de R$ 50.00 pra estudantes até o dia 14 de Junho, e de R$ 70,00 apartir desta data. As inscrições serão feitas pelas internet através do site: www.congressocardiolpb.com.br, e o envio de trabalhos até o dia 14 de junho. Desde já deixamos o convite à todos os acadêmicos do curso de Fisioterapia, pois como lidamos em nossa pratica cotidiana com algumas das patologias mensuradas neste evento, é de fundamental importância nosso entendimento à cerca de tais transtornos, ao mesmo tempo que possamos ampliar os nossos horizontes e perceber a nossa importância dentro desse contexto, ampliando e aplicando nossa experiência clinica na recuperação cardiovascular.